Minha nova "afilhada"

Vou ter que dividir esta história em dois momentos e depois juntar tudo lá na frente...

Parte 1: o Heros, filhinho da minha amiga Jucy e do Elton, escreveu para o papai Noel recentemente, pedindo uma "pink" de Natal.
Mais do que depressa ela me ligou, me informou que queria adotar um Dasch e eu comecei minhas buscas... Mandei e-mails para algumas amigas protetoras e cachorreiras e na sexta-feira recebi uma resposta de uma pessoa que encontrou um Dasch de 3 meses, menino, caramelo, de raça mesmo dentro de uma lata de lixo.
Mais do que depressa fui, junto com a protetora, pegar o cãozinho. Levamos para o hospital veterinário (afim de fazer um check up), tiramos foto e mandei para a Jucy. Amou!
Uma pena é que até no domingo pela manhã minha amiga não tinha conseguido progressos em relação ao cachorrinho: não tinha visto ainda, não tinha respondido questionário de adoção nem feito entrevista enfim, estava achando que a adoção estava indo por água abaixo.
Me ligou chateadinha mas não podíamos fazer nada além de esperar.
O problema todo é que o rapaz que achou o cãozinho, retirou-o do hospital e deu uma sumidinha básica então ela já estava meio que desistindo, já que tem apenas o final de semana para resolver isso.

Parte 2: há uns 5 dias a Pink não vem urinando normal e ainda anda se lambendo demais. Achei estranho e pensei em ligar prá Melissa no sábado. Depois de 24h sem urinar, resolvi ligar e passar o que estava rolando. Diagnóstico: Cistite (que nem sei se é assim que se escreve).
Como eu já tinha programado de ir passear no Museu ontem, resolvi passar pelo Pet Center Marginal da Tancredo Neves para comprar os remédios (e não na Cobasi, onde vou normalmente, pois ficava mais fora de mão).
Chegando lá eis que avistamos uma Dasch preta, do tamanho da Pink. Linda e fofa! Amistosa, carinhosa e brincalhona numa feira de adoção no estacionamento.
Conversei com a Jul (a tia Jul...) e decidimos conversar com a Jucy prá ver se ela queria ver a cachorrinha.
Enquanto eles analisavam a possibilidade de adotar a "Princesa" entramos no pet para comprar os remédios. O Elton me retornou a ligação dizendo: PEGA. A GENTE QUER!
Não é assim também... precisavam pelo menos ver a carinha da cachorrinha né ? Decidimos então tirar uma foto dela e mandar via sms.
Quando voltamos para a feira de adoção, uma família já estava feliz e saltitante com a cachorrinha na coleira, passeando de lá prá cá, tipo "é nossa!"
Eu me aproximei e disse: vocês vão ficar com ela ?
Resposta: não sabemos ainda. Estamos em dúvida.
Eu: Então posso tirar uma foto dela e mandar para um amigo ? Assim, se vocês não forem ficar a gente fica! Vamos até o Museu do Ipiranga passear e na volta passamos aqui e vemos o que vocês decidiram.
foto enviada via sms...

O que é o destino não?
Não deu certo com o outro cão e agora, por causa da cistite da Pink, estamos com uma nova oportunidade de adoção... rs - Aqui juntamos as duas partes das histórias!

Saímos em direção ao parque e... perdemos a entrada! Sério. Acabamos caindo na Juntas Provisórias e teríamos que fazer uma mega operação de guerra prá chegar no Museu a tempo de passear e ainda voltar prá decidir sobre a Princesa.
A Jul, num rompante de sensatez, disse: Fer, vamos voltar lá. Melhor! Assim a gente já resolve.
Foi o que fizemos. Demos meia volta e voltamos.

Lá estava a Princesa... só nos aguardando!

Fizemos todos os trâmites de adoção e agora seria a parte mais difícil: colocar a Pink e a Princesa no mesmo carro.
Depois de alguma discussão e algum planejamento estratégico (lembrando que a Pink é medrosa e por isso ataca e morde as pessoas e cãezinhos!) colocamos s Princesa presa no cinto de segurança no banco de trás e a Pink vinha na coleira no colo da Jul, no banco da frente.
PS: lembre-se aqui que a Jul... a tia Jul... é aquela que é mordida pela Pink às vezes... ó o clima...

Foi um sufoco. A Pink tava imóvel mas a Princesa queria ficar andando pelo carro todo e aí, porque tava presa no cinto, se sufocava toda hora. Era um tal de pôr a cachorra prá cima do banco, depois parar o carro prá arrumar ela, depois pedir pra ela descer da tampa do capô, depois prá parar de se sufocar... uma coisa mega engraçada.
Ela tentava me lamber. Sufocava.
Ela tentava lamber a Jul. Sufocava.
Ela queria cheirar a Pink. Sufocava.
E em cada "sufocada" eu tinha que recolocar a cachorra em cima do banco e tinha que desenrolar a coleira dela.
Eu já estava sufocando também. Estava até um perigo para o trânsito porque dirigia e cuidava da cachorrinha no banco de trás.
PS2: a Jul tinha trabalho demais cuidando da Pink no colo dela...

Chegamos na minha mãe prá buscar as coisas e aí caí na real: eu teria que ir embora sozinha com as duas dentro do carro e sem o auxílio da Jul. Jesuuuuuuuuuuuus! Apaga a luz!!!!!!!!
Bom, já que tinha que ir, vambora.
Saí da minha mãe, abri a porta do carro e a Pink, mais do que depressa, correu para o banco do passageiro, quietinha.
A Princesa adorou ir na casa da minha mãe e não queria ir embora de jeito nenhum.
Coloquei ela dentro do carro, no banco de trás, prendi o cinto mas quando fui sentar no meu banco (motorista, claro!) ela tirou a cabeça prá fora e eu não conseguia fechar a porta. Meu pai, que me ajudava no trâmite todo da minha saída, gritou: Fer, a cabeça da cachorra tá pra fora!!!!
Saí do carro de novo, pus ela de volta no banco e... pluft! a cabeça saiu e eu não conseguia fechar a porta.
Saí do carro "again", coloquei a pessoinha no banco, com a mão esquerda lá atrás segurei ela na coleira no banco, dei um girospico com o corpo, com a mão direita fechei a porta e pronto! Cá estávamos todas dentro do carro depois de um suador tremendo. E isso que meu pai me ajudava segurando a porta e auxiliando nas ocorrências...
Bom, começou a aventura.
A Pink deitadinha no banco da frente olhando de rabo de olho a Princesa, que por sua vez se escanguelava com o cinto x coleira e, eu, com uma mão acariciava a Pink (que estava com ciúme), com a outra mão colocava a Princesa de volta em cima do banco e com a força do pensamento dirigia! E ai do meu celuar tocar naquela hora. Sabe quando eu ia conseguir atenter? never...
Depois de uns 8 minutos de sufoco todo mundo dormiu graças ao CD Relaxing Your Dog que coloquei no som do rádio. Milagroso CD...

Chegamos em casa. Ufa! Acabou o sufoco! Hã... que nada!
A Pink queria sair imediatamente e a Prin... vomitou. Um mega vômito. Juro que tinha uns 3kg de ração naquele bolo. O que fazer ??????
Peguei uma flanelinha linda nova de florzinhas que comprei no farol outro dia, recolhi o que deu do bolo de ração (atente que eu dei uma esfregadinha no banco, claro! afinal não poderia ser fácil), a Pink no meu colo querendo descer, a Princesa escanguelada (porque nesta hora ela voltou a se sufocar de alegria porque queria sair do carro!!!) e eu tentando achar a chave de casa dentro da bolsa afinal não ia dar prá eu procurar dentro daquela bolsa gigante a chave quando chegasse na porta do apartamento.

Finalmente com 1 bolsa no ombro, uma sacola no cotovelo, uma coleira na mão direita, uma coleira na mão esquerda e quase 50ºC dentro daquele carro, pude sair.
Mas... cadê o bolo de vômito ? Putz... Tava lá, enroladinho no assoalho do carro... cheirando a bicho morto... ai meu carro limpinho...
Botei todo mundo prá dentro do carro de novo, soltei bolsa e sacola, peguei o pano com o "hugo", deixei ao lado do carro na garagem (sorry!!! depois, em condições menos adversas, volto prá buscar), repeguei todas as coleiras, bolsas e afins e finalmente fomos em direção do elevador.
Ufa!
Abri a porta e... a Princesa estancou e nada fazia ela entrar no elevador. Quando eu digo nada é nada mesmo.
A Pink lá dentro querendo subir logo e a Princesa estancada do lado de fora! A campainha interna do elevador começou a tocar em sinal de que alguém chamava em algum andar de cima...
Depois de umas bronquinhas básicas, a Prin entrou no elevador e chegamos finalmente ao nosso lar doce lar. Todo mundo feliz, alegre e contente.

Foi uma convivência tranquila com brincadeiras e reconhecimento de terreno pois ambas as cachorrinhas cheiraram toda a casa: a Princesa conhecendo o novo local e a Pink querendo dizer que a casa ainda era dela. Senti até uma tristezazinha quando ela foi embora.

Foto da Princesinha, que agora se chama Lilica!

Pink observando a Princesa brincando com uma bolinha.

Ambas brincando, há 4km de distância...

Pink, enciumada, observando a movimentação da Princesa aqui dentro de casa...

Recebendo carinho...

Enturmada!!!

Foto na hora da adoção

Foto dentro do carro... linda!!!

O Elton veio buscar a cachorrinha depois de umas 2h e agora vivem felizes para sempre!
E o vômito??? 21h30 voltei prá buscar o pacotinho, que ainda estava perto do carro. Coloquei numa sacolinha de lixo, joguei fora, dei uma limpadinha no banco do carro e tudo está novinho em folha!!

7 comentários:

Andrea Sassaki disse...

Ownnnnn...que a Lilica seja muito bem vinda!
Pink, sua mamãe é somente sua, fofa! Fique tranquila!!!
Fer....queria que todos fossem iguais a vc.
Um beijo!

Juliana disse...

Mas foi muito divertido...

GRAÇA disse...

Muito linda a PinK não tem ciumes?
Ainda não recebi a minha prendinha?
Tens selinho no meu blog -presenteslovega-2(selinhos)
Ronronzinhos da
Kikinha

disse...

Mas que história feliz:))
Adorei o post.

bjinhos

Gigi e Lola disse...

Oi Fer, muito linda a Lilica...morro de rir com suas histórias...rs
Está acontecendo algo estranho no meu blog, quando vc.atualiza não aparece para mim, snif...então se der quando atualizar avisa nóix...hihihi

Lambeijokas

Lola

Xica disse...

Que legal!! Mais uma vidinha feliz!!!Parabéns Fer!!
Fer não consigo te mandar nosso endereço ,o e-mail volta,estamos locas para receber nossa lembrancinha.Beijos Adri e Xica

Anônimo disse...

Que delícia de aventura!!!

Como é bom finais felizes...

Adorei!!!

Vera Gusmão